sábado, 25 de dezembro de 2010

Feliz Natal

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Aumenta a onda de assaltos junto ao campus de Gualtar - assaltantes estão descontentes


Com o avolumar da crise a nível internacional, o aumento do número de assaltos junto ao campus de Gualtar da Universidade do Minho nos últimos meses tem sido notório. No entanto, não só as vítimas mas também os assaltantes se revelam descontentes com esta situação. O Opiário esteve à conversa com Mãos Leves (nome fictício) que revelou ser cada vez mais difícil a vida de assaltante no nosso país pois aquilo que dantes facturava com um único assalto, obriga-o a fazer agora três ou quatro "Os estudantes estão cada vez mais lisos, bolsas de estudo nem vê-las e quem se lixa somos nós... os trabalhadores". "Somos postos de lado pela sociedade, trabalhando muitas vezes pela noite fora, sem receber horas extraordinárias, chega a haver noites que não faço mais que 3 telemóveis, 30 euros e 2 chicletes". Mãos Leves que seguiu a profissão do pai e do avô, não aconselhará o seu filho a seguir as suas pisadas "Já não há futuro para quem assalta... o melhor vai ser ele ir trabalhar como o primo... no tráfico".

by: Opiário
www.opumdei.com

sábado, 25 de setembro de 2010

Mudança


   Toda a célula do corpo humano regenera-se em media a cada 7 anos. Como cobras, à nossa maneira, nós mudamos de pele. Biologicamente somos novas pessoas.
   Podemos parecer os mesmos… Provavelmente somos… A mudança não é visível, pelo menos não para a maioria de nós, mas todos mudamos completamente, para sempre. Mas é normal, é uma mudança natural.
   Quando dizemos coisas como “As pessoas não mudam” deixamos os cientistas malucos, porque a mudança é literalmente a única constante da ciência. Energia… Matéria… Estão sempre a mudar… Transformar… Fundir… Crescer… Morrer…
   O modo como as pessoas tentam não mudar é que não é natural. Como queremos que as coisas voltem ao que eram, em vez de as aceitarmos como são. Como nos prendemos às velhas memórias, em vez de criarmos novas. O modo como insistimos em acreditar, apesar de todas as provas científicas contrárias de que algo nesta vida é permanente. A mudança é constante, como experimentamos a mudança depende de nós. Pode parecer como a morte, ou pode ser como uma segunda oportunidade. Se relaxarmos, nos soltarmos, formos em frente, pode ser adrenalina pura. Como se a qualquer momento tivéssemos outra oportunidade. Como se qualquer momento pudéssemos nascer novamente.

De volta à vida de estudante


   Pois é, já começou mais um ano lectivo... Mais um ano de trabalhos, testes, exercícios, insultos aos professores, gargalhadas nas aulas, cusquices sobre colegas, trabalhos de grupo entre muitas outras coisas... Mais um ano...

domingo, 24 de janeiro de 2010

Hurt


Even though all that you did to me was much worse
I had to do something to make you hurt yeah
Oh but why am I still cryin'?
Why am I the one whose still cryin'?

Oh oh you really hurt me baby!!!
You really you really hurt me baby!!!!